Membros

Um Anjo no Caminho Escuro

O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. (Salmos 34:7)

Eis que eu envio um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho, e te leve ao lugar que te tenho preparado. (Exodo 23.20)

 Tinha nove anos quando entrei na quinta série do "Ginásio", hoje, sexto ano. Era quase uma menina. Franzina, tímida, muito apegada a minha mãe. Levava muito a sério tudo que fazia: Os meus estudos, as aulas de educação física no turno oposto, os deveres de casa e as atividades na Igreja.
Estudava pela manhã, tinha aula de educação física duas vezes por semana à tarde e todas as noites, ia à Igreja. Não faltava às minhas atividades um dia sequer, apesar da pouca idade.
Era uma Terça-Feira e o que aconteceu naquele dia, não esqueço jamais.
Nos encontramos em casa ao meio dia. Depois do almoço, cada uma seguiu para um lado: Mamãe foi para o Círculo de Oração e ficaria por lá para dar uma arrumada no templo antes do culto. Minha irmã voltaria para o trabalho e de lá mesmo, iria à faculdade. E eu, para a aula de educação Física no Ginásio Industrial e a noite encontraria a minha mãe na Igreja.
Quando a aula de Educação Física terminou, já era umas cinco horas da tarde. Eu estava suada, com fome e com a roupa bem suja. Resolvi dar um pulo em casa para tomar banho, trocar de roupa e fazer um lanche antes de ir à Igreja.
Lembro que era uma alegria estar com minhas colegas nas aulas, éramos iguais ali, fazíamos as mesmas coisas, vestíamos a mesma farda, lanchávamos juntas a merenda da escola. A diferença vinha quando a aula terminava. Elas seguiam para as suas casas no centro da cidade e eu quase sempre sozinha, caminhava a passos rápidos para o meu lar. A nossa casinha ficava no "Alto do Bom Jesus" e a energia me fazia muita falta pois além de ter medo de escuro eu não podia ficar muito tempo lendo a noite. Isso era chato pois eu gostava muito de ler e escrever.
O percurso era de aproximadamente uns trinta minutos a passos rápidos. Saía da escola, passava pela quadra andando um pouco até chegar a um esgoto a céu aberto que minhas perninhas curtas e finas, mal podiam saltar. As vezes minhas meias branquinhas, branquinhas eram salpicadas de lama nessa travessia. Naquele dia eu saltei e segui o meu caminho. Para chegar em casa por esse caminho, tínhamos que passar ao lado do cemitério. Eu não sentia medo dos mortos. Desde pequena minha mãe vivia dizendo: "Temos que ter medo é dos vivos e não dos mortos". O Cemitério me fascinava, às vezes. Saber que ali descansavam pessoas com histórias diversas, belas, agradáveis, desagradáveis... Um dia eu fui lá com minhas colegas para olhar as fotos que estavam coladas nas tumbas. Gostava de olhar todas principalmente as de umas meninas lindas que tinham morrido bem novas ainda. Parece que morreram de acidente.
Passei pelo cemitério andando às pressas, pois estava bem deserto aquela hora. Seguindo um pouco mais, tinha umas casas e aí melhorava. Só que essa alegria durava pouco, porque logo em seguida vinha a parte mais sombria da estrada e eu tinha muito medo de passar por ali: O Riacho. Era sombrio e a areia dificultava os meus passos. O medo tomava conta de mim mas eu tinha que seguir em frente. Atravessei o riacho com pressa pois tinha que chegar em casa e voltar antes do anoitecer. Peguei a chave, entrei rapidamente em casa, acendi o candeeiro. Xanico veio me cumprimentar. Estava deitado em nossa cama, o folgado! Dentro de casa eu me sentia segura e a presença do gato, já era uma companhia. Gastei pouco tempo para tomar banho, vestir-me e fazer um lanche rápido. Peguei minha bíblia, apaguei o candeeiro e abri a porta para sair. Assustei-me ao ver que já estava quase escuro.
Sr. Doutor, o nosso vizinho da esquerda, estava como sempre, sentado à frente da casa dele com um chicote enorme na mão que ele usava para espantar os porcos, cachorros e galinhas ou outro bicho qualquer que porventura ousasse adentrar nos seus domínios, ou seja, no terreiro da casa dele que era público, mas ele delimitou essa área como particular. Até as pessoas passavam por longe! D. Mariinha, a mulher dele, perguntou-me porque eu estava sozinha aquela hora. Eu respondi que ia encontrar a minha mãe na Igreja. Ela falou que já estava escuro e era eu para ter muito cuidado.
Saí a passos largos andando o mais rápido que podia. Pensei: Porque eu não fui para a Igreja assim mesmo, sem tomar banho? Mas a ideia me deixava desconfortável. Um bom banho era melhor que um prato de comida. Orei ao senhor para me guardar e me levar em paz até o meu destino. Era tarde para voltar atrás. 
Agora iria por outro caminho mais longo, porém menos perigoso. Depois que passasse pela baixa do riacho, tinha muitas casas e alguns postes de energia elétrica. Só que até chegar ao riacho, era bem sombrio, deserto e escuro. Orava para não aparecer ninguém pois o perigo eram as pessoas, digo, certas pessoas. Para ser mais clara, alguns homens que tinham fama de se aproveitarem de mulheres e meninas. Histórias de estupros se ouviam frequentemente ali.O Bebo era o mais temido. Ele andava, quando não tomando umas pingas, alienado pela maconha. Nós temíamos muito encontrá-lo no caminho para casa. Um dia voltávamos da Escola Dominical e lá vinha ele. Minha mãe agarrou mais forte a minha mão, chegou perto da minha irmã e falou: Vamos depressa! Ela quase puxava a gente enquanto clamava baixinho: "Sangue de Cristo! Senhor, cobre-nos com o teu Sangue!"  
Ele aproximou-se, perguntou as horas e seguiu em frente. Sentimos o hálito forte de pinga.
Continuei andando rápido, atravessei a estrada quase correndo. Estava com muito medo. 
Quando descia a estrada, para passar pelo riacho. Ouvi uma voz não muito longe cantando:"To doidão, to doidão! Bicho, to doidão!" e repetiu mais perto ainda: "To doidão, to doidão! Bicho, to doidão!" Pensei em correr, mas, as pernas tremiam tanto que paralisei. Reconheci a voz do Bebo e ele vinha em minha direção. 
Ele aproximava-se rapidamente e eu mal conseguia sair do lugar. Orei baixinho: Senhor, manda teu anjo para me guardar! Acampa teu anjo ao redor de mim, Senhor!
Bebo aproximou-se, aproximou-se...
Em meio as sombras, percebi a sua presença. O Vento soprou frio trazendo um cheiro forte.
Eu sentia tanto medo! Estava tão desprotegida naquele momento.
Pedi a Deus com maior intensidade para enviar um anjo. Eu sabia que Ele não me deixaria só.
- Boa noite Chefe! Boa noite, menina! Falou Bebo, num cumprimento rápido enquanto passava por mim.
Ele desapareceu na noite, cantando a plenos pulmões:"" To doidão, to doidão! Bicho, to doidão! To doidão, to doidão! Bicho, to doidão!"
Respirei fundo, aliviada. Graças a Deus!
Continuei andando e pensando: O Bebo não tocou em mim. Pelo contrário me cumprimentou respeitosamente com um boa noite. Só não entendo uma coisa. Por que ele falou : Boa noite, chefe!?
Meus olhos se encheram de lágrimas...
Deus enviou o seu anjo para me acompanhare me guardar.
Um acompanhante divino. Graças a Deus.

Anjos existem?

Base Bíblica:
Os anjos são entre os homens Ministradores do Senhor, instrumentos usados para manifestar em algumas oportunidades, o Seu livramento e glória. 


Na Bíblia, existem mais de 250 referencias sobre eles; entre estas citações, escrevo aqui algumas para dar base ao que falo.
 Mas antes, deixo bem claro que toda glória e louvor deve ser dada a Deus pois, não devemos adorar os anjos.
Vemos em Apocalipse: 19.10 quando o Apóstolo João joga-se ao chão para adorar o anjo:
(AP 19:10) "E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou servo como tu, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia."
Anjos são ministros de Deus que os envia a este mundo em missões diversas, relacionadas com a nossa salvação
Não são porventura todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?(Heb. 1,14)
Em missões especiais  (Cf.Lucas 1,19-38; Atos 10,22);E, respondendo o anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas.
Eles foram criados por Deus. com a finalidade de serem Seus assistentes, mensageiros e ministradores entre os homens. 
Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.(Cl 1.16),
Um Anjo esteve com Paulo na Prisão.
"E eis que sobreveio o anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; e, tocando a Pedro na ilharga, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias".(At 12.7) 
Com Daniel na Cova dos Leões
"O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum".(Dn 6.22)" 
O Anjo do Senhor acompanhava o Povo de Israel
E o anjo de Deus, que ia diante do exército de Israel, se retirou, e ia atrás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles.(Ex 14.19) 
Com Jesus em momentos difíceis. 
Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam. Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos? (Mt 4.11; 26.53)
Da mesma forma Deus dá ordens aos Anjos a nosso respeito
Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos".(Sl 91.11)
Deus envia anjos para nos guardar:  
"Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra." Sl 91.11,12
"Enviarei um Anjo adiante de ti para te guardar no caminho e te fazer entrar no lugar que eu preparei" (Ex 23,20)
 O Anjo do Senhor acompanha e guarda os que temem a Deus:  
O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. (Salmos 34:7)
A Bíblia não nos dá muitos detalhes quanto à sua aparência. Em alguns relatos, vemos que eles se apresentaram como homens comuns, conseguido até confundir as pessoas.(Gn 16.7-14; 19.1-5; Jo 20.11-13). Há também citações nas quais se apresentam revestidos de majestade e glória (Dn 10.5,6; Lc 24.4). 

Nesse episódio que descrevi acima, eu não o vi, mas o homem que passou por mim e a quem eu temia encontrar, viu o Anjo ao meu lado. É tanto que ele falou: Boa noite, chefe!  
Como os anjos estão sujeitos a vontade do Senhor, não tenho dúvidas que Deus enviou esse anjo para me livrar naquele momento.
Por esse e outros acontecimentos em minha vida, como também pelo que a palavra de Deus fala, eu afirmo com toda certeza: Osanjos são reais! São seres espirituais criados em tempos eternos com finalidades definidas e que estão ao redor dos escolhidos do Senhor, livrando-os e conduzindo-os no dia-a-dia.
Sou eternamente grata ao meu Deus por esse e por muitos outros livramentos que ele tem dado à minha vida. 
Amém!