Membros

Gozar ou suportar?


As vezes me pego a pensar na vida, no que tenho feito ou deixado de fazer. Em minhas lembranças remotas ou recentes surgem cenas límpidas e vivas onde aproveito cada instante, desejando que não acabe nunca. Geralmente esses momentos não são planejados, preparados ou comprados. Apenas acontecem, despidos de indumentárias, rotinas, regras, mau humores. Vêm leves e soltos trazendo um gozo sem fim. Estando só ou acompanhada dos meus amores, aproveito, porque essa é a minha porção na vida que Deus me deu debaixo do sol. 
Assim disse o sábio: "Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta é a tua porção nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol". (Eclesiastes 9:9)
Gozo na amplitude da palavra.  Aproveitando, desfrutando, fruindo, usando das vantagens de... e assim vou seguindo a sugestão do sábio: "Goza a vida com a mulher que amas"... Eu gozo. Gozo a vida com a família que amo, com os filhos que amo, com os amigos que amo, com meus Pets que amo e emfim... Com todos que me rodeiam todos os dias da minha vida. 

É claro, sendo hoje 26 de dezembro, encontro-me inspirada a parar um pouco para descansar da lida de mais um ano de trabalho. Nessa parada, uma pausa para pensar na vida, como falei no início desta postagem, ao pensar na vida relembro os dias de alegrias, festas, gozo, fruir de coisas boas. 

Mas, e  onde estão as lembranças daqueles dias de dor, sofrimento, lágrimas? 
Estão aqui também. Bem lá no fundo, mas estão. Que farei com estas lembranças? Não ficarei remoendo, revivendo, sofrendo outra vez. Mas, trarei a memoria, apenas para aprender com os erros, fortalecer-me, re significar, procurar escrever um novo final. Geralmente estes momentos vieram temidos, esperados, doloridos, como algo de que não poderia me esquivar.

Não foram esperados, aproveitados, gozados, mas, suportados.

Uma coisa aprendi com a vida: Receber as rosas e suportar os espinhos. Trilhar as estradas da vida, recebendo a brisa leve no rosto, o perfume do amanhecer, o colorido da paisagem, retirando os espinho que me ferem os pés, louvando ao Criador a alegria da vida.
Como em Eclesiastes 8.15: Então louvei eu a alegria, porque para o homem nada há de melhor debaixo do sol do que comer, beber e alegrar-se; porque isso o acompanhará no seu trabalho nos dias da sua vida que Deus lhe dá debaixo do sol.

Muitos momentos de gozo, alegrias, vitórias para você, em mais um ano que  se inicia.